O desafio de ensinar crianças 3

                                                                                                                         Carol Read

ATIVIDADES DE SALA DE AULA

Até aqui nosso foco foi em estabelecer um ambiente de trabalho positivo com as crianças. 

Isso porém, está intimamente conectado à maneira como selecionamos e organizamos as atividades de sala de aula. Embora muitas técnicas conhecidas de professores de adultos possam ser adaptadas com sucesso para turmas de crianças, alguns fatores devem ser lembrados ao decidirmos se essas técnicas são adequadas ao ensino de crianças, ou sobre as maneiras como devem ser adaptadas: 

1.Processo e produto : 

Os adultos conseguem reconhecer o valor do processo envolvido em uma atividade linguística e estão dispostos a “suspender suas crenças”. As crianças não são tão generosas. Elas tendem a apressar o processo para chegar ao produto ou resultado o mais rápido possível. 

2.Atividade e tarefa : 

Embora esses termos sejam muitas vezes usados como sinônimos, ao trabalharmos com crianças pode ser útil que façamos uma distinção. Na atividade, a motivação e o prazer são inerentes à atividade em si. Na tarefa a motivação e o prazer estão geralmente baseados em um resultado posterior. 

Com crianças mais jovens, em particular, atividades que são intrinsecamente motivadoras e prazerosas, que focam no aqui e no agora, tendem a ser melhor sucedidas que tarefas que levam a resultados e gratificações futuras. 

3.Centralização no professor e orientação pelo professor : 

Centralização no professor é um conceito geralmente mal visto no ensino de língua estrangeira. No contexto de trabalho com crianças, porém, isso não deve ser confundido com atividades e aulas que são orientadas pelo professor. É geralmente vital que o professor seja uma liderança clara e que ofereça exemplos precisos, para encorajar a turma a participar nas atividades em língua estrangeira. 

4.Competição e cooperação : 

Embora as crianças possam parecer motivadas por atividades competitivas, essas são geralmente difíceis de gerenciar e podem ser conflituosas (e mesmo frustrantes para as crianças mais jovens), especialmente se as mesmas crianças parecem sempre ganhar ou perder. 

Se quisermos organizar atividades competitivas, tais como jogos em equipe, é geralmente mais útil abordá-las como oportunidades para desenvolver atividades sociais e de cooperação entre as crianças do grupo, em vez de enfatizar a competição entre grupos. 

5.Agitar e acalmar : 

Ao selecionarmos atividades, devemos antecipar seus efeitos prováveis sobre o comportamento das crianças. Embora seja vital incluir atividades que envolvam movimentos físicos, essas tendem a agitar e elevar o nível de barulho e excitação da turma. Assim, é importante planejar atividades relaxantes para acalmá-las novamente. 

6.Envolver e ocupar : 

Atividades que ocupam as crianças e as mantêm “ocupadas”, sem estimular seu interesse ou desenvolver suas habilidades de pensamento, têm um valor limitado e rapidamente levam à desconcentração e à indisciplina. É importante selecionar e organizar atividades que envolvam as crianças e lhes ofereçam um nível apropriado de desafio em vez de atividades que simplesmente ocupam seu tempo. 

7.Desenvolvimento da linguagem e desenvolvimento integral : 

Quer as crianças estejam aprendendo inglês na escola, quer em atividades extracurriculares, o processo de aprender uma língua estrangeira faz parte de sua educação geral e de seu desenvolvimento integral. As atividades e os procedimentos em sala de aula necessitam, então, levar em conta não apenas o desenvolvimento linguístico (da língua materna e da língua estrangeira), mas também fatores de seu estágio atual de desenvolvimento psicológico, emocional e cognitivo. 

Essas atividades também têm de conectar o aprendizado em língua estrangeira à realidade e experiências das crianças, bem como a outras áreas de aprendizado tanto na escola como em casa. 

8.Aprendizado efetivo : 

Tendo os pontos anteriores em mente, o modo mais eficiente de auxiliar as crianças a aprender uma língua é engajá-las em atividades que são práticas, prazerosas, significativas, que tenham propósitos claros, que estimulem a sociabilidade, e que recebam o apoio adequado. 

O mapa abaixo sintetiza uma compreensão baseada em minhas próprias leituras e experiências como professora de crianças. Considere, dentre os conceitos mencionados acima –praticidade, prazer, significação, propósito, sociabilidade e apoio – a idéia que deve preencher cada espaço.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fico muito grata pelo seu comentário e sua ajuda para que este blog melhore cada vez mais!
Beijos de luz
mirna